Páginas

30 de jun de 2014

Moments – Capítulo 10.


Um vento frio bateu intensamente contra o meu corpo junto à uma pouca claridade. Meus olhos se apertaram com força quase involuntariamente e minhas mãos puxaram o cobertor de Louis, que se remexeu na cama, arrancando uma careta risonha e um suspiro de mim. Como uma criança assustada e com medo, fui tirando a manta vagarosamente da minha cabeça e abrindo os olhos lentamente. Ele, o garoto de cabelos desgrenhados e blusa amassada ao meu lado, continuou a dormir e parecia ainda mais sereno. Não tive como evitar o desejo de ficar admirando essa encantadora visão por alguns segundos com um sorriso bobo brincando nos meus lábios. Levantei meio tonta, tropeçando nos meus próprios pés, indo em direção ao banheiro pra fazer minha higiene matinal. Meu corpo implorava por cafeína. Passei pelo quarto de Emily e repreendi uma risada ao ver que Zayn dormia com ela em sua cama, abraçado a sua cintura. Isso atiçou minha curiosidade e perguntei à mim mesma onde os outros estavam, caminhando em passos rápidos e engolindo minhas risadas até o terceiro quarto do apartamento, encontrando Liam, Harry e Niall, que se distribuíram em uma cama de casal e um colchão de solteiro no chão.

– Bom dia! – um Harry sonolento surgiu na cozinha assim que a cafeteria apitou, indicando que o café estava pronto, consequentemente me fazendo sobressaltar de susto.

– Bom dia! Quer café? – falei, virando-me pra ele ainda de olhos arregalados, engolindo seco ao vê-lo sem camisa e de cabelos bagunçados, repreendendo uma risada diante daquilo.

Ele sentou-se no balcão e encaixou suas mãos no meio dos cabelos, parecendo estar com uma ressaca infernal, com direito a dor de cabeça e nenhuma lembrança do que acontecera durante a bebedeira. Ele ergueu a cabeça devagar e, sorrindo lentamente, estendeu a mão pra pegar a xícara que eu oferecera.

– Um remédio pra dor de cabeça cairia bem melhor, mas aceito a oferta!

– Eu tenho remédio, você quer ou...

– Quero! Eu com certeza quero! – ele não esperou nem que eu desse outra sugestão, praticamente implorando com os olhos a pílula que eu ainda procurava na bolsa.

– É só tomar essa aqui primeiro e essa logo depois. Não toma muita água! – dei à ele a primeiro o comprimido azul e em seguida o branco enquanto ele ouvia atentamente como deveria tomá-los.

– Você parece saber do que está falando! – ele falou logo depois da careta que fez ao engolir as pílulas, me devolvendo o copo com um sorriso agradecido no rosto, rindo da minha cara.

– Quando você tem Emily Mattioni como amiga, você precisa aprender algumas coisas sobre isso! – falei vagarosamente, sentando-me à sua frente, passando a apreciar seu sorriso com covinhas enquanto conversamos.

----------

– Se eu pedir, vocês comem comida Italiana comigo? – perguntei aos cinco à minha frente, que disputavam o controle da tv e o programa que iria prosseguir por mais de três segundos na televisão.

– O seu pedido é uma ordem! – Niall, que pulou no sofá ao meu lado, sorrindo, afirmou.

– Louis, você me ajuda a procurar algum lugar pra comprar? – perguntei ao garoto desatento que estava sentado no chão, aos meus pés, segurando os mesmos.

– Claro! – ele inclinou a cabeça pra cima, confirmando, piscando sedutoramente pra mim, que bati em sua cabeça.

Zayn e Emily ainda dormiam, parecendo mais confortáveis lá, se é que o mundo pode entender. Segundo Louis, estávamos indo ao melhor restaurante da cidade e isso eu pude confirmar assim que entrei nele. Uns paparazzis haviam descoberto que ele passeava com sua suposta nova namorada pelas ruas de Londres e começaram a nos perseguir pelas mesmas. Fui obrigada a subir o vidro da minha janela e passar a ver tudo um pouco mais cinza que o normal por causa do insulfilm.

– É sempre assim? – perguntei ao olhá-lo de canto de olho, percebendo que ele mantinha um meio sorriso.

– Quase! – ele desviou o olhar pra mim rapidamente pra responder encarando meus olhos.

– Eles não vão descobrir onde é minha casa, não é?! – continuei olhando-o, que riu de um jeito descontraído e tranquilo.

– Farei o possível pra que isso nunca aconteça! – me olhou rapidamente de novo, deixando um sorriso bobo no meu rosto. 

Buscamos pelo nosso almoço o mais rápido possível, querendo fugir dos olhares que pairaram sobre nós assim que colocamos os pés dentro do lugar. Umas meninas que por lá estavam pediram fotos, abraços e autógrafos, tornando Louis o centro das atenções enquanto eu apenas me mantive quieta perto do balcão, tentando desaparecer, se possível. Logo que peguei as sacolas com as comidas, fiquei parada, só o observando, e falei com quem falou comigo quando me aproximei, mas elas se dispersaram em seguida.

– Que frio! – reclamei assim que saímos e o frio bateu violentamente contra os nossos corpos.

– Fique aqui pertinho! – ele mandou, me abraçando cuidadosamente, enquanto esperávamos pelo carro.

– Meu nariz vai congelar! – brinquei, inclinando minha cabeça pra cima, rindo como uma criança.

– Eu cuido disso! – ele abaixou um pouco, dando-me um beijo no nariz, brincando, o que me fez rir mais.

O caminho foi tranquilo e quase sonolento, caso meu estômago não tivesse feito eu pagar o mico do ano, parecendo mais um tambor do que um órgão. Louis gargalhou ao ouvi-lo e me encheu com isso o restante do caminho, que foi cheio de risadas. Quando chegamos, nos deparamos com Zayn e Emily nos sofás com os outros, dando o ar de suas graças, enfim, com as maiores caras de ressaca que eu já vi.

– Seu celular está chamando! – Em avisou, depois de eu ter ido pra cozinha e tê-lo deixado na sala.

Ligação On –

– Sophia! – um grande sorriso surgiu em meus lábios ao ler o nome da pessoa na tela.

Pedro! <3

– Pê! – exclamei sorridente, jogando-me no primeiro sofá à minha frente.

– Fiquei sabendo da seleção dos roteiros! Como anda o seu sono? – ele logo perguntou em tom sério, mas risonho, não me deixando nem ter muito tempo de alegria com sua ligação.

– Por mais incrível que pareça, eu havia esquecido disso. E tenho dormido muito bem, obrigada! – respondi, rindo contidamente, logo olhando pra Louis, dando uma piscada pro mesmo, que foi zoada por todos.

– Fico feliz por isso, mas tem uma coisa que eu odiei ver. – sua voz esfriou, me deixando apreensiva quanto ao assunto que entrou em pauta de novo.

– O quê? – perguntei.

– Fotos suas e do Louis, agora cedo! Que droga é aquela? Quer virar estrela do pop também? – ele aumentou seu tom de voz, parecendo estar com raiva de ter que falar sobre isso.

– Primeiro, do que você tá falando? Segundo, eu não pretendo fazer nada que me exponha ao mundo. – retruquei meio atônita, levantando da poltrona, caminhando de um lado pro outro.

– Sophia, você não nasceu pra ficar exposta dessa maneira. Todos nós sabemos como você é. – meu irmão, parecendo ainda mais bravo, afirmou com convicção.

– Eu não fiz nada, já falei! – falei meio irritada, batendo o pé no chão, como se ele pudesse ver...

– Se alguma coisa te acontecer por causa desses meninos, você vai sofrer pra superar e sabe disso! Essas fotos não deveriam nunca ter sido tiradas. – ele suspirou antes de continuar, tornando seu tom um pouco mais amigável.

– Pedro, para! Eu sei me cuidar! Eu vou resolver isso, aliás, tentar entender. Espere por mim! – esbravejei sem muita delicadeza, um pouco irritada por não saber do que ele falava e ainda assim levar sermão, desligando sem esperar por sua resposta, mas logo me arrependi.

Ligação Off –

Pedro realmente tem razão quando diz que não nasci pra ficar exposta ao mundo todo. Eu sei que tudo isso pode me causar algumas feridas incuráveis e, dependendo do que modo como aconteçam, podem me fazer desistir de algumas coisas. Mas eu nem mesmo sei ainda que fotos são essas, porém já posso imaginar.

– Merda! – exclamei ao abrir um site de fofoca e entender o motivo da raiva dele.

"Louis Tomlinson novamente em clima íntimo com suposta namorada.

Novamente o 1D foi visto com Sophia Maryn, sua 'amiga', em clima de romance. Os dois passearam por Londres e a garota fechou a janela do carro quando um paparazzi se aproximou. O casal – podemos chamar assim? – foi junto à um restaurante e trocaram abraços e beijos publicamente. Veja as fotos!"

– Eu vou cuidar disso! – Louis passou o braço sobre os meus ombros, e disse, dando um beijo nos meus cabelos.

– Isso aqui não importa, mas, cara, o Pedro tá possuído de raiva. – lamentei, esfregando as mãos nos cabelos ao me sentar novamente na poltrona.

– Sabe que isso não é verdade. Nada disso vai deixá-lo pra sempre com raiva. – Emily sentou-se ao meu lado, me abraçando.

SophiaMaryn – Sinto a sua falta. Obrigada por me amar tanto e se preocupar comigo! @PedroWegmann. <3

@PedroWegmann – Sua segurança é prioridade pra mim. Deixe-me saber caso algo ruim aconteça!

Louis me lançou um olhar feio, mas uma onda de conforto se apoderou do meu corpo. Tudo estava bem de novo. Olhei as fotos e achei fofa a que tiraram no exato momento em que ele beijava meu nariz e nós dois sorríamos, então acabei salvando. Postarei sim qualquer dia desses e não quero me importar com a opinião das pessoas sobre isso, porque, além de ser a minha vida, eu não pedi pra sentir o que eu sinto, mesmo que ainda não tenha decifrado isso direito.

– Meninas, nós temos uma notícia pra vocês! – Liam disse, exalando alegria de longe, fazendo todos se calarem.

– O que foi? – Emily perguntou enquanto olhávamos atentamente pra ele.

– Nós vamos para os Estados Unidos em dois dias. – Zayn revelou, deixando nossa boca entreaberta por causa da surpresa, que foi uma verdadeira surpresa, já que Louis não havia comentado nada comigo.

– Nossa, isso é...incrível. Eu fico muito feliz! – falei, não muito convencida do que havia dito.

– Ficaremos lá por dois meses! – Niall complementou, mostrando pra  gente um sorriso completamente doce, que indicava sua felicidade por estar indo realizar esse sonho.

– É um grande passo nas suas carreiras, suponho! – eu disse, sorrindo fraco, procurando me manter confortável com essa notícia, o que me parece ser impossível.

– Bom, sentiremos saudade! – Em falou, rindo pra eles, que se juntaram à ela na bagunça e nas risadas.

– Eu volto logo! – Louis sussurrou no meu ouvido, como se tivesse lido o pensamento sobre o conforto que eu estava precisando.

SophiaMaryn – Juntos só por mais dois dias. EUA é incrível! Ahá X.

Me fiz de alegre e realmente estava, mas havia um outro sentimento indefinido dentro de mim, que travava uma luta com a minha vontade de ser honestamente feliz com isso. Louis novamente iria embora, mesmo que por dois meses. Talvez não tenhamos nascido pra ficarmos perto um do outro... ou talvez sejam apenas dificuldades que temos que passar pra acabar logo com a interrogação entre nós dois.

– Sentirei sua falta! – falei contra seu peito, ainda sendo confortada em seus braços, que me apertavam com cuidado, sentindo seu cheiro inebriante.

– Eu também! – ele afagou meus cabelos, repetindo esse ato por mais algumas vezes.

– Promete que vai passar rápido? – pedi sem pensar, lembrando-me em seguida do pedido dele de acreditar só em sua palavra, soltando um suspiro abafado, que o fez rir.

– Eu dou a minha palavra! – ele disse por fim, rindo, enquanto eu sentia seu peito vibrar por causa disso.

26 de jun de 2014

Moments. – Capítulo 9.


Os dias foram passando e os compromissos ficando cada vez maiores e necessitados de bastante atenção. Não imaginei que a universidade fosse tão puxada quanto eu estou presenciando agora. Eu mal tenho tempo de piscar os olhos ou respirar. Louis e os meninos estão de folga em Londres, mas eu e Emily sempre estamos com a cara dentro dos livros, lendo ou escrevendo algum artigo que nos foi mandado.

– Eu sinto a sua falta! – o amigo citado assim exclamou assim que atendi a ligação.

– Eu também. Eu realmente sinto muito por estar tão ocupada! – lamentei enquanto rabiscava figuras abstratas no caderno, que estava sobre o meu colo, ao lado do laptop e de milhões de apostilas.

– Os garotos também estão com saudades! Quando fica livre? – ele perguntou, usando seu melhor tom de criança perdida, fazendo-me sorrir como uma boba.

– Talvez em dois dias! – respondi sem muita segurança, mas sabendo que não teria como fugir deles, rindo abafadamente com isso.

– Podemos nos ver? – a alegria presente em sua voz encheu o meu coração, que suspirou por saber que  logo encontraremos o cara que é o motivo da minha insônia e sonhos doces.

– Claro! Mas agora preciso ir, tenho que terminar um roteiro. – falei vagarosamente, esperando sua risada, que indicava seu assentimento, para desligar.

Universidade em primeiro lugar. Universidade em primeiro lugar. Universidade em primeiro lugar. Preciso repetir isso todos os dias pra que eu não esqueça o principal motivo que me fez largar tudo na minha pequena cidade e vir pra Londres. Mas esse sentimento confuso por Louis me persegue dia e noite, me atormenta em intervalos não tão longos quanto eu desejo, tirando, vez ou outra, minha concentração nos meus afazeres. Encima da minha mesa tem todos os tipos de livros necessários pra esse roteiro que terei que escrever. Como jornalistas, o professor de literatura quer que nós escrevamos uma obra própria, pra que ele consiga fazer o intercâmbio de cursos. Ele juntará de algum jeito os dois melhores da sala, transformando-os em uma peça teatral, que será um trabalho para os alunos de teatro, obviamente. Tivemos duas semanas e por mais que eu tenha me dedicado insanamente à ele, não tenho certeza se está como eu quero. Estou ansiosa e nervosa pelo resultado. Essa minha mania de sempre querer ser a melhor me maltrata.
----------

– Emily, anda logo! Só temos quinze minutos! – a chamei novamente, olhando nervosamente para o relógio.

– Calma! É suficiente! – ela respondeu tranquila, bebendo vagarosamente seu suco.

– Odeio me atrasar, ainda mais pra essa aula. – observei os corredores se esvaziando, ficando ainda mais apreensiva.

– Se continuar assim, vai desmaiar antes de entregar esse roteiro. – ela disse em tom sério, me obrigando a ficar calada.

@SophiaMaryn – Odeio esse lance de competições! Não gosto de perder. Argh.

Postei em meu Twitter enquanto ela ainda se deliciava com seu café da manhã na sua já preferida lanchonete da universidade. Ela bebia seu suco tranquilamente e mordiscava o folheado como se tivéssemos todo o tempo do mundo para cumprir nossas obrigações. Meu estômago parecia mais uma roda gigante do que um orgão. Eu estava odiando o cheiro da comida, ficando ainda mais enjoada a cada segundo.

– Eu não consigo mais ficar aqui! Me encontre na sala! – falei, já me levantando, evitando estragos maiores.

– Passe no banheiro e certifique-se de que está bem! – minha amiga alterou o tom de sua voz pra que eu pudesse ouvi-la, já que estava longe o suficiente pra não sentir mais o cheiro da gordura das comidas.

Caminhei rapidamente até o banheiro e encarei meu reflexo pálido. Eu trabalhei muito nesse roteiro, e só saberei se ele será um dos escolhidos daqui há uma semana e meia, o que me deixa brava, já que tenho consciência de que ficarei sem paz até lá. Sempre que tem algum trabalho importante, me tranco no quarto e só saio quando tenho a mais absoluta certeza de que ele está ao meu gosto... tipo, perfeito aos meus olhos. Minha mania desde criança.

@Louis_Tomlinson – Calma é essencial, Sophia! Confio em você. X

Li após o meu celular apitar e indicar a nova menção. Um mero sorriso surgiu em meus lábios e o agradeci mentalmente pelo conforto, mas o odiei por confiar em mim, já que agora me sinto ainda mais pressionada a ganhar essa seleção. Caminhei em passos largos até a sala e assim que sentei o sinal tocou. Emily ainda não havia chegado, então coloquei meu caderno sobre a carteira ao lado para guardá-la.

– Obrigada! – ela disse sorrindo, me retirando dos poucos segundos de inferno particular.

– Se esse professor faltar, eu me mato! – afirmei, me obrigando a deixar meus dedos parados.

– Eu sei que você ganhar! – ela afirmou, sorrindo docemente e dando de ombros, abrindo seu caderno em seguida.

– Obrigada por tirar a pressão que estava sobre os meus ombros! Louis e você são os melhores nisso. – ironizei sem humor.

Poucos minutos atrasado, mas chegou. Nosso professor de Literatura, Mrs. Connor, é excelente. Apesar de novo, ele é um grande profissional, ao menos ao meu ver. Digamos que ele seja atraente, muito atraente. E também deixa suas aulas com um ar descontraído, tornando-a uma das minhas favoritas. Acho que esse lance jovial dele torna tudo mais fácil e prático, já que ele não é tão antiquado, nem mais velho que nós.

– Os trabalhos ficam aqui na minha mesa, pessoal! – ele avisou assim que o sinal foi parando de tocar, arrumando os papéis que estavam sobre sua mesa.

– Finalmente! – exclamei baixo, mais pra mim do que pra qualquer outra pessoa, quando deixei meu roteiro sobre os outros.

– Estou ansioso para lê-lo! Eu acho que não ficarei surpreso se estiver incrível. – ele afirmou enquanto eu me distanciava, me fazendo olhá-lo novamente e sorrir envergonhadamente.

– Espero que goste! Me esforcei bastante pra que saísse perfeito! – exclamei receosamente, recebendo seu sorriso, dando-lhe as costas novamente.

Busquei por meu celular ao senti-lo tremer. Emily logo apareceu, ficando ao meu lado, rindo de algo. Não me importei em perguntar o motivo das risadas, mas ela quis revelar mesmo assim, me assustando.

– Hum! Um professor a fim de uma aluna. Isso é certo? 

– Não seja ridícula! – a repreendi imediatamente, olhando para os lados para me certificar de que ninguém ouviu o absurdo dito por essa menina sem juízo.

– Eu marquei essa noite com os garotos. – ela comentou, mudando radicalmente de assunto, para o meu alívio, observando as próprias unhas.

– Hoje? Emily... – parei no meio do corredor para olhá-la seriamente, suspirando profundamente.

– Qual é? Tem duas semanas que não nos vemos. Chega de estudar! – ela indagou chateada, me vencendo com apenas um olhar de cachorro sem dono.

– Eu quero descansar. Por Deus, não sei o que é dormir há dias. – choraminguei.

– Sophia, você vai continuar sem dormir até sair o resultado e nós sabemos disso. – ela afirmou, olhando fundo nos meus olhos, assim fazendo-me suspirar derrotadamente.

– Só me deixe saber a hora que eles chegarão! – falei por fim, recebendo um abraço apertado dela, que me sufocou por alguns eternos segundos.

@NiallOfficial – Finalmente irei rever minhas garotas. Noite dos amigos. X

Observei o tweet de Niall e fiquei feliz, mesmo que muito cansada para recebê-los como merecem. Como todos os dias, pegamos o metrô e fomos para casa. Nosso apartamento não fica longe, mas há uma distância considerável. Eu nem mesmo fui andando um dia ou outro, embora devesse. Emily já foi espalhando suas coisas por toda a sala assim que chegamos, não se importando com a minha organização, muito menos com as visitas que chegariam. Eu tive que juntar e guardar tudo sozinha, já que ela estava ocupada demais comendo e lendo sua revista.

– Eu vou subir! Me chame quando eles chegarem! – berrei já do fim do corredor, esperando sua resposta para entrar de vez no meu quarto.

– Como quiser! – ela disse da sala, sem me dar muita importância.

Um banho quente e demorado. Eu precisava mesmo de uma ducha para descansar meus músculos, que há muitos dias não sabem o que é isso. Um ar totalmente calmo pairou sobre mim. Meu corpo implorava por uma cama e eu nem mesmo pude recusar. Caminhei de forma quase involuntária para a mesma e acabei adormecendo de roupão, recém saída do banho.

– Sophia! Ei, eles chegaram! – Emily dizia enquanto eu a ouvia de longe, pressionando meus olhos e virando-me para o outro lado, ficando de frente pra parede.

– Hum! – murmurei sem dar à ela muita atenção.

– Se não levantar agora, os trarei aqui pra vê-la só de toalha! – ela ameaçou de forma suja, cutucando minha cintura, logo tentando roubar do meu corpo o cobertor.

– Faça companhia pra eles. Não sei em quanto tempo, mas juro que irei lá! – garanti de forma sonolenta, fazendo um grande esforço pra sentar-me na cama.

– No máximo 15 minutos! – ela ordenou, batendo de leve na cama, me deixando sozinha segundos depois.

Busquei por meu telefone no meio das cobertas e, forçando minha visão, entrei no Twitter. 

SophiaMaryn – Saudade do seu colo, mamãe. @AshleyMaryn.

Me contorci preguiçosamente no meio das cobertas, tentando expulsar todo o cansaço que havia se instalado em mim. Cambaleando, fui até a janela e abri as cortinas, observando a noite estrelada. Tomei banho de novo, agora rápido, e coloquei um pijama. Lentamente fui caminhando pelo corredor e aparecendo na sala. Liam foi o primeiro a me ver, retirando a almofada do seu colo para levantar e vir me receber.

– Olha só quem apareceu! – ele logo disse, anunciando à todos a minha aparição, abraçando-me cuidadosamente.

– Olá! – murmurei para todos, por cima do ombro dele, que sorriu atrás de mim.

– Sinto que você não nos queria aqui! – ele brincou, arrancando risada de todos, incluindo uma completamente desconcertada minha.

– Só estou cansada demais pra receber vocês direito, mas eu vou tentar. – falei vagarosamente enquanto sentava sobre minhas pernas na poltrona e me aconchegava a manta que estava lá.

– Não quer jantar? – Em perguntou, surgindo na sala segundos depois.

– Não agora. – recusei a oferta, esfregando os olhos e sorrindo pra Louis, que me olhava fazendo o mesmo.

– Nós trouxemos filmes. Deite-se comigo! – ele me chamou, gesticulando com a mão, dando dois tapinhas no lugar vago ao seu lado em seguida.

Cambaleando, fui até ele. Me recostei em seu peito, sentindo a pulsação de seu coração firmemente. Niall deu play no filme e deitou-se no carpete à nossa frente. Eu, por minha vez, me obrigava a ficar acordada, porém meus olhos pesavam mais do que deveriam. Eu já não conseguia mais me atentar a nada, queria somente dormir, por mais incrível que aquilo fosse. O colo de Louis tem algo especial, não há outra explicação. Nem mesmo quando deitei lá encima o sono foi tão atraente assim.

– Não precisa ficar acordada! Pode dormir! – ele disse após uma pausa em sua respiração, a soltando levemente enquanto afagava meus cabelos.

– Leu meus pensamentos? – brinquei em tom baixo, me ajeitando em seus braços.

– Sou seu melhor amigo! – ele exclamou, rindo sem muito humor.

– Obrigada! – apertei o pano de sua blusa em meus dedos, fechando os olhos em seguida.

Eu o agradeci por me entender. Eu vivo constantemente em um inferno particular por causa dos meus sentimentos. É tudo confuso, fora do comum, complicado. Ele é uma personalidade da mídia, um cantor que chama atenção em todos os lugares que vai, e eu sou apenas uma estudante. Não que isso importe ou atrapalhe algo, mas é um fato a ser considerado caso entremos em um relacionamento, seja ele qual for. Quando resolvemos, de fato, assumir nossa amizade, houve uma conversa. Querendo ou não, eu seria uma peça importante pra quem quisesse afetá-lo. E isso me deixou mais popular do que eu jamais pude imaginar. 

– Hum! – murmurei ao abrir meus olhos e encontrei os de Louis abrindo-se também.

– Hey! – ele sorriu.

– Onde estão todos? – perguntei confusa, notando o vazio e silêncio da sala.

– Foram à uma boate. Não quis acordá-la e fiquei pra não te deixar sozinha. – ele explicou, se recompondo, arrumando com os dedos os cabelos, que acabaram ficando ainda mais desgrenhados, o que me fez rir.

– Não precisava fazer isso, Lou, sério! Mas...obrigada ! – dei meu melhor sorriso à ele, deixando um beijo em sua bochecha antes de ir até a cozinha.

– Imagina! Eu nem mesmo queria ir. – ele disse ao mesmo tempo em que caminhava até mim.

Comemos os fast-foods que sobraram, já frios. Lembramos de algumas coisas da nossa infância e um ar nostálgico pairou sobre nós. Inesperadamente me encontrei perdida nos olhos dele, que retribuía com intensidade. Eu podia enxergar toda a alma do jovem garoto à minha frente, o que me dava a chance de ver também cada gota de sentimento que regava seu coração.

– Me desculpe! – me levantei rapidamente do balcão, onde estava de frente pra ele, agora ficando de costas enquanto apoiava as mãos na pia.

– Se eu souber o por quê! – ele riu fraco, levantando-se e em passos leves chegando até mim e apoiando suas mãos nos meus ombros, deixando sua respiração quente próxima o suficiente pra me fazer estremecer.

– Por ser tão complicada e não poder te corresponder de forma fácil, clara e normal. – declarei sem delongas, suspirando profundamente e pressionando os olhos com força.

– Não seja boba! Nós temos muito tempo pela frente. – ele riu devagar e baixo perto do meu pescoço, soprando de leve o mesmo, e beijou meu ombro com carinho e tranquilidade.

– Eu queria poder dizer abertamente o que meu coração grita, mas é muito confuso. Eu não consigo entender. – desabafei de uma vez, sentindo meu pulso vibrar contra os meus batimentos ainda mais quando ele virou meu corpo e nos deixou cara a cara.

– Sophia, essas coisas nunca são fáceis. Elas são confusas, loucas e inesperadas. É normal. Só deixe que o tempo diga o melhor a se fazer! Não tenho pressa! – ele falou de forma doce, como se tentasse me confortar, me envolvendo em seus braços.

– Sempre soube você que era incrível. Eu adoraria viver com você o resto da minha vida. – falei sem muito pensar, não me arrependendo, para a minha surpresa, fazendo-o rir, o que me fez rir também.

– Nós vamos casar, Sophia. Teremos três filhos e um cachorro chamado Spike. – ele disse divertido, descontraindo o ar, voltando a se sentar, mas agora literalmente encima do balcão.

– Floe, Alison e Dean! E, me diz, não tinha um nome menos clichê pro cachorro não? – continuei a brincadeira, enquanto lavava as louças e ouvia a sua risada.

– Elas duas estudarão em colégios internos somente pra meninas. Ele será um tremendo pegador! E não, não tinha. Eu quero Spike. – ele rosnou a primeira frase, riu na segunda e berrou na terceira, pigarreando para chamar a minha atenção pra eu perceber que ele estava fazendo um bico adorável.

– Louis, deixa de ser idiota. Para de fazer bico! E ele será um príncipe e elas serão princesas. 

Dessa vez eu fiz o mesmo que ele, me armando de um bico ainda mais adorável para ganhar a discussão, logo jogando nele a almofada que estava em meu colo, percebendo que não obtive sucesso. Ele sempre conseguiu me  fazer rir e isso parece ser pra sempre, porque ele nunca deixa de se esforçar.

– Isso é o que iremos ver! – ele fez uma careta desafiadora, arrancando uma gargalhada minha. 

– Se isso não for muito estranho, vamos dormir lá no meu quarto? – o chamei, franzindo o nariz e rindo alto logo depois ao ver sua expressão teatralmente surpresa.

– Eu não esperava um convite desse tipo vindo de você. O que está acontecendo com o mundo? –  ele debochou de forma idiota, colocando a mão no peito pra concluir sua cena ridícula, que me fez rir por longos segundos.

– Cala a boca e vem logo, imbecil! 

Bati em suas costas quando passei por ele, que deu um pulo do sofá e me abraçou pelas costas. Eu deitei de um lado e ele de outro, afastado demais, o que me fez rir. Estávamos virados para lados opostos e o silêncio tomou conta da situação. Os outros certamente só chegariam pela manhã, então achei melhor que viéssemos pra cá. Minha cama é bem mais cômoda que o sofá, convenhamos. E não há nada demais nisso, ainda somos apenas melhores amigos. Pedro e eu fazíamos isso o tempo todo, por isso acho que é completamente normal. Porém com Louis há a possibilidade de um romance, sendo assim, isso pode ser visto como algo ruim ou estranho, mas nós temos total naturalidade quanto a isso. E antes que nós adormecêssemos, ou pelo menos eu adormecesse, ele me abraçou de lado, e sua voz deu vida a uma frase que arrepiou o meu corpo inteiro e me fez sorrir como uma idiota apaixonada.

Não importa o que aconteça, não importa se sejamos só amigos pelo resto da vida, você sempre será minha e eu sempre serei seu.  

19 de mai de 2014

Moments – Capítulo 8.


Meus olhos se abriram lentamente junto a um sorriso em meus lábios. Os raios de sol invadiam o meu quarto, me dando uma sensação de conforto. Minhas ideias e pensamentos se confrontavam devido ao primeiro dia na universidade de jornalismo ser hoje. E as únicas coisas que levam vantagem sobre mim hoje são o nervosismo e ansiedade.

Bom dia, Soph. Espero que tenha um ótimo dia na universidade. 

Boa sorte lá! Quero notícias!

Lou Tomlinson X

Li a mensagem sorrindo como uma idiota. Ele sempre faz isso. Me faz sorrir como uma boba.

Bom dia, Lou! Mal posso esperar pra saber como tudo vai ser. 

Te procuro no fim das aulas. 

Tita X

Emily estava um pouco apreensiva e amedrontada em relação a universidade. Ela é uma grande fã dos meninos  e acho que uma surpresa deles hoje não seria má ideia. Só quero deixá-la feliz e confiante.

Eu preciso de vocês. Emily está com medo da nova vida. Será que rola uma ajuda? 

Um "eu acredito em você" seria suficiente. Por favor! 

Sophia X

Enviei para os cinco e fique encarando o celular por alguns minutos, batendo com a unha na tela do mesmo, deixando claro o quão ansiosa pela reposta eu estava. E depois de alguns longos suspiros uma resposta...

Sem dúvida nenhuma. Estamos juntos e todos nós já enviamos mensagens de conforto pra ela. 

Tenha um bom primeiro dia. 

Liam X

Será que ele ainda consegue ser mais fofo que isso? Senhor, me diga que isso é humanamente impossível, porém creio que ele vai além do que a ciência pode provar.

Larguei o celular encima da cama e com um enorme sorriso fui pro banheiro enquanto cantarolava On Top Of The World. Um banho relaxante e demorado antes de descobrir o quão diferente tudo será nunca será má ideia. Nunca fui de demorar com roupas, mas quando o assunto é maquiagem, levo um tempo longo. 

– Temos uma hora pra chegar lá. Não está pronta ainda?

– Cinco minutos e tudo dará certo! – eu ri.

– Te vejo lá embaixo, babe.

Nossa universidade fica há uns 30 ou 40 minutos de casa, dependendo do quão movimentando o trânsito está. E como eu já previa, não tão calmo. Por sorte nós chegamos há tempo de conseguir respirar e se acostumar com o local.

– É fácil eu me perder aqui. – eu ri.

– Nós conseguimos, Sophia. – ela comemorou com palmas e risos, me abraçando com força.

Peguei meu telefone e tirei uma foto nossa, que tinha de fundo o campus da universidade e a placa que mostrava o nome da mesma. Nossa felicidade poderia ser notada pelo quão grande nosso sorriso estava. Entrei em meu Twitter e a postei.

@SophiaMaryn – Enfim universitárias. Cada minuto de espera valeu a pena.

Logo minhas mentions foram se aglomerando. Eu acumulo um número considerável de seguidores por conta da amizade com o One Direction, que agora é apontada como algo a mais com um deles, o que me rende alguns tweets ruins e maldosos, com críticas e palavrões, mas que eu ignoro completamente.

@NiallHoran – Lindas. Curtam o primeiro dia e saibam que quero saber de tudo depois. ;) X

@Harry_Styles – Boa sorte, meninas! Estou aqui torcendo por vocês. x H

Mostrei à Em o que eles disseram e nós rimos juntas. Ela entrou em seu Twitter e respondemos eles e outras pessoas que queriam saber sobre a a universidade até a hora que tivemos que entrar pra primeira aula. Aula que não existiu exatamente.

– Eu achei que já teríamos conteúdo.

– Nem todo mundo é como a gente e vem fazer a excursão antes do início das aulas. Sendo assim... – falei.

– Sophia, você não comeu antes de sair de casa, não é? O que acha de conhecermos intimamente a área das lanchonetes? – ela ergueu uma sobrancelha, rindo logo depois.

– Eu quero um café! – afirmei, fazendo-a revirar os olhos enquanto eu entrelaçava nossos braços. 

Caminhamos entre algumas risadas até as lanchonetes e praticamente fugidas do professor que mostrava o campus para a nossa classe. Nós estávamos ansiosas pela primeira aula, mas alguns alunos fizeram o favor de não vir à excursões, então pediram que ele apresentasse a universidade hoje. Bleh. 

– Já vi alguns garotos bem lindos.

– É brincadeira, não é? – questionei, quase cuspindo meu café.

– Sabe o que eu acho? Que você precisa parar de pensar apenas no Lou. 100 meninos lindos passaram do teu lado e teu olhar não seguiu nenhum.

– Eu não estou pensando só nele. Sabia que eu tenho outras coisas interessantes nas quais tenho obrigação de pensar? – me defendi, olhando-a meio assustada.

– Você acabou de dizer que ele é interessante. – falou naturalmente, encarando meu olhar, me deixando quase apavorada.

– Que? Eu não...Emily, você sabe o que eu quis dizer. – falei, tentando consertar.

– Ah! Fala sério, Sophia! Eu te conheço há anos. Tá escrito na sua testa que você ficou balançada com a aproximação dele desde que ele foi para Bournemouth há um ano atrás.

– Tá na cara assim? – lamentei.

– Na cara dos dois. Sério! É melhor que decidam isso logo. Todo mundo já percebeu o quanto vocês se querem, se gostam, sei lá...

– Calma, não é bem assim...

– Ele te olha de um jeito diferente e você retribui. Você pensa milhões de vezes antes de falar alguma coisa que envolva outro garoto perto dele. Já percebi isso e você sabe!

– Não tenho conhecimento sobre isso aí que você disse. – fingi desentendimento e ela apoiou seus cotovelos sobre a mesa para me encarar melhor.

– Você não consegue enganar nem a si mesma, garota, quem dirá esconder algo de mim. Seja sincera, você gosta dele?

– Só rolou um beijo, não foi nada demais. Nós concordamos de deixar acontecer. Eu não vou planejar nada, muito menos meus sentimentos. – afirmei, deixando de lado meu café.

– Eu não perguntei isso.

– Tudo bem, eu gosto dele. Mas eu não sei como, sabe? É confuso na minha cabeça. – desabafei em um suspiro pesado.

– Eu não vou insistir. Mas eu só preciso dizer uma coisa, se vocês se gostam, fiquem logo juntos. Essa de ficar fingindo que a friendzone é suficiente nunca dá certo.

– Tudo bem, conselheira amorosa. - ri um pouco, quebrando a tensão que havia se formado.

Nós acabamos voltando pra nossa turma, que ainda era levada pelo monitor pra conhecer as salas e as divisões dos campus. O que se tornou mais engraçado quando percebemos alguns detalhes que não tínhamos visto na primeira visita.

– Bom, essa aqui é a sala onde vocês mais virão! A maioria das aulas teóricas serão dadas aqui. – o professor, Mr. Green, abriu a porta e nos deu passagem pra entrar.

Todos os alunos se sentaram e direcionaram a visão e atenção à ele novamente. Conversamos por mais algum tempo sobre tudo o que estaria por vir e como era o funcionamento de notas, avaliações e etc dentro da LCC, o que nos rendeu algumas risadas com piadas dele. Mas logo o sinal tocou.

– Foi isso, gente! Eu sou o coordenador do curso de vocês, como já havia dito. Qualquer coisa é só me procurar. – acenou com a mão, nos liberando.

– Com licença, Mr. Green, mas aonde nós conseguimos os horários das aulas? – elevei meu tom pra que ele ouvisse, chamando a atenção dos alunos que ainda estavam na sala.

– Eu não disse? Ah, meu Deus, me desculpem. No mural do terceiro andar, logo depois da sala de música.
– Obrigada! – Em agradeceu enquanto eu apenas sorri pra ele, que retribuiu. 

Caminhamos devagar pelos corredores e enquanto subíamos as escadas, meu celular apitou e tremeu dentro da bolsa. 

Hey, e as aulas?

Quando terminar, posso buscar vocês? 

Lou X

Emily pegou dois folhetos enquanto eu lia a mensagem. Meio distraída, bati em algumas pessoas e nem mesmo tive tempo de me desculpar. Ela fez isso por mim e me deu uns tapas de leve depois.

Então já pode vir, ahah. 

Fim das 'aulas'.

Tita X

Enviei sorridente, mostrando à Emily o convite que nos foi feito e que aceitamos.

Preciso ir em carro fechado? 

Se sim, preciso trocar! Ahá :(

Eu não fico cheia de crises com essa relação que temos com eles. Eles são como qualquer outra turma de amigos meus, que me buscam nos lugares, que saem comigo pra uma sorveteria ou cinema. A única diferença é que eles são famosos e tem sempre alguém nos perseguindo, mas é algo com a qual tenho que aprender a lidar se eu quiser manter isso.

Isso não tem importância.

Espero por você! X

Sentei com Emily no muro baixo enfrente ao prédio e ouvíamos músicas da linda Kelly Clarkson, que tocava em um carro qualquer do estacionamento. Sempre gostei de ouvi-la, então não estava me importando nenhum pouco.

Meus olhos observavam as pessoas entrando, saindo, sorrindo, preocupadas, nervosas, mas com algo em comum: sorrisos. Enquanto os olhava, me perdi em pensamentos, desejos e realizações. Emily pulou do muro e um burburinho começou no meio do campus, de repente. 

– Louis! – ela exclamou.

– Não pensei que ele fosse chamar tanta atenção assim. – fiz careta devido ao barulho.

– Fico até com medo!

Enquanto fazíamos o caminho até o carro, todos os olhares foram nos acompanhando quando perceberam onde os nossos passos nos levariam. Olhares desdenhosos, outros maliciosos. Emily riu um pouco, achando divertido o modo como isso tomou uma proporção tão grande a ponto de parar os alunos que há minutos atrás mal se olhavam e notavam a presença uns dos outros.

– Olá! – o abracei e ele beijou minha cabeça.

– Tudo bem com vocês? – perguntou enquanto apertava a mão de Em.

–Isso é muito divertido! – ela apontou pro gramado onde todos os alunos ainda nos observavam.

– Eu acho que da próxima vez o carro vai ter importância sim. – ele falou, rindo alto ao olhar pra mim.

– Eu não sabia que causaria todo esse impacto. – comentei, rindo.

– Eu vou levar vocês na nossa casa. Querem passar em algum lugar pra comer antes de irmos? – perguntou e eu o olhei de imediato.

– O que? – Em foi mais rápida que eu ao questioná-lo.

– Ué, normal. – ele riu pelo nariz.

– Eu preciso de muito açúcar no sangue então. – brinquei e desgrenhei ainda mais seu cabelo com as minhas mãos.

Ele, então, deu partida no carro. Os alunos ainda nos olhavam descaradamente, mas já não me importei quando começamos a conversar. Porém o caminho até o carro foi meio perturbador, mas nada que me deixasse paranoica, no máximo desconfortável. 

Paramos em uma confeitaria e eu e Emily fizemos a festa com todos os doces e guloseimas do lugar. Tinha salgados, cupcakes, donuts dos mais variados sabores e espécies, o que nos deixou mais alegre que o normal. 

– Quem está lá? – perguntei.

– Todos! Estamos compondo.

– Quero saber, as músicas estão tão incríveis quanto estão dizendo? – Em perguntou, assustando-o de leve.

– Eu espero que sim. – ele riu alto.

Não conhecíamos as ruas de Londres ainda. Se ele me deixasse sozinha, eu não saberia como voltar pra casa. Observei os lugares por onde estávamos passando e não me recordei de ter passado por lá antes quando saí pra passear com Em.

– Não me lembro de já ter passado por essas ruas. – exclamei confusa.

– E não passaram. Estamos perto da nossa casa. Geralmente não deixam táxis e carros comuns chegarem tão perto.

– Jesus, essa é a casa de vocês? – Emily perguntou assustada quando ele reduziu a velocidade enfrente a uma enorme casa.

– Sim! É tipo um complexo. 

Ele guardou o carro e nós pegamos as compras que, aliás, são muitas. Ele disse que a primeira porta é da casa de Liam, onde provavelmente todos estão já que é a primeira. A chave girou na maçaneta e antes que Louis abrisse a porta, Niall fez por ele. 

– Meninas!!!!! – exclamou sorridente, abraçando nós duas no mesmo instante.

– Oi! – falei, beijando seu rosto.

– Olá! O que vocês trouxeram de comida? Veio cupcake? – Harry apareceu sem camisa e de cabelos molhados.

– Hã, ahh... muita coisa! – Em forçou respondê-lo, mas falhou.

Harry, põe a camisa. Faz esse favor pra minha sanidade. Obrigada. Ele já é incrivelmente lindo vestido e de modo casual como todos vêem por aí, imagina sem camisa e de cabelos molhados. Isso faz mal pra minha cabeça, muito mal. 

– Camisa, Styles! – Liam ordenou e indicou com o dedo um corredor.

– Isso aí! – Louis fez um highfive com o mesmo.

– Quem está compondo? – Emily perguntou.

– Harry, eu e Louis. – Liam logo a respondeu.

– Já tem nome? – perguntei sorrindo.

– Nós queremos chamá-la de Right Now. – Louis, por sua vez, disse.

– Fala sobre? – Em deu continuação as perguntas.

– Fala sobre a curiosidade das meninas. – Zayn brincou, aparecendo de repente.

– ZAYN! – exclamei alegre, logo indo até ele abraçá-lo.

– É sobre distância, tipo isso. – Harry apareceu já vestido, respondendo.

– E vocês? Não estão compondo também? – perguntei à Zayn e Niall.

– Folga, babe! – Niall disse, tentando jogar os cabelos pra trás, me fazendo rir.

– Preguiça, na verdade! – Lou disse, apertando uma almofada contra o rosto de Niall.

– É só por falta de inspiração, mesmo. – Zayn, por fim, contou a verdade.

– Eu quero ouvir! – alegremente falei.

– Quem sabe mais tarde! – Louis disse, se juntando à Liam e Harry no sofá.

– Quer dizer que você nos trouxe pra cá, mas vai nos abandonar? – deixei a boca aberta em um 'O'.

– Ele te trouxe por outro motivo, babe. – Zayn disse e gargalhou, fazendo Louis arregalar os olhos.

– Nós faremos companhia pra vocês. Eles não vão demorar. – Niall nos abraçou pelos ombros.

– Com certeza! Mas não é melhor irmos lá pra cima, não? – Zayn coçou a cabeça enquanto perguntava.

– Não! – Louis disse de imediato.

– É sim! Não vamos demorar muito aqui. – Liam afirmou, repreendendo-o pelo olhar.

– Tudo bem! – exclamei confusa.

Subimos pra casa de Niall e deixamos as compras encima do balcão. Emily e Zayn estavam conversando como se se conhecessem há anos e se eu conheço minha melhor amiga, em três dias eles serão como unha e carne – ou mais que isso. 

– Essa música fala sobre sentimento, distância e a luta pra tentar esconder ele. – Niall disse enquanto abria as sacolas.

– E? – pedi pra que continuasse

– Quando eles nos deixarem ouvir, você vai entender! – ele disse por fim, mantendo em seus lábios um sorriso cordial.

– Se não tenho outra opção. – me rendi, dando de ombros.

Juntamos algumas coisas e levamos pra sala, onde Emily e Zayn riam alto, deixando no ar uma malícia, que logo foi parar no meu sorriso e no de Niall. Zayn ligou a tv e ficamos mudando de canal todo tempo porque quando um gostava de algo, o outro detestava. Não houve consenso na escolha do canal, somente gritos, risadas e almofadadas.

– Chegamos! – Harry apareceu, quase derrubando a porta.

– Deixamos os seus cupcakes no balcão! – comentei, apontando pra cozinha.

– Tudo bem por aqui? – o cuidadoso Louis perguntou, sentando-se ao meu lado.

– Na mais perfeita ordem! Ela está intacta. – Zayn respondeu por mim, brincando.

– E a música? Podemos...? – Em perguntou.

– Claro! – Liam disse, entregando um papel à ela.

Levantei e sentei-me ao lado da mesma. Por alto vi os dedos de Louis brincarem nervosamente uns com os outros. Me concentrei em ler e achar a explicação que eu precisava e que Niall disse que estaria na música. Ela terminou de ler e deixou o papel somente comigo.

"Agora mesmo eu quero que você esteja aqui comigo porque agora tudo é novo para mim. Você sabe que não pode lutar contra o sentimento. E toda noite estou sentindo. Agora mesmo eu quero que você esteja aqui comigo..."

Meu coração tremeu dentro do peito e diminuiu na medida em que fui lendo o refrão. Minhas mãos começaram a suar e percebi, sem olhá-los, que todos estavam atentos a qualquer reação minha. Terminei de ler, mas o refrão gritava com veemência em minha mente.

– Ficou incrível! – esbocei um sorriso, devolvendo a folha para Liam.

– Fizemos inspirados na saudade que sentimos das pessoas que amamos e que ficam em casa quando entramos em turnê. – Liam explicou.

– Eu amei! Mal vejo a hora de ouvi-la prontinha. – Emily disse visivelmente alegre, quase saltitando pela sala.

– Niall, posso falar com você? – eu perguntei e Louis me olhou de imediato.

– Claro! Eu queria mesmo te mostrar o jardim. – mentiu, brincando, e me ajudou a levantar.

Caminhei com cuidado até lá fora com ele. Me abracei pra tentar me aquecer já que o frio tava alucinante. Nos sentamos em um dos bancos que tinha e nos encaramos. Ele ria e eu queria fazer o mesmo, mas a confusão na minha cabeça não deixava.

– Não entendeu ainda? – ele arregalou os olhos.

– Preciso de uma explicação clara pra formar alguma opinião sobre. – falei.

– O refrão, Sophia. Não se pode lutar contra o sentimento e você sabe disso. Toda noite ele está sentindo. Ele quer você com ele agora mesmo. – enfatizou.

– Essa música foi escrita inspirada em nós dois? – tentei concluir.

- Óbvio. Quer dizer, da parte dele. Ele é apaixonado por você.

– Eu não sei! – deitei minha cabeça em seu ombro.

– É recíproco? – perguntou.

– É confuso!

– No momento certo as coisas vão acontecer, se elas tiverem que acontecer. – ele disse, fazendo carinho nos meus cabelos.

– E se eu não souber qual é a hora certa? Não quero magoá-lo. Gosto demais dele pra pensar em algo o machucando. – disse sem pensar, sendo sincera.

– O tempo é o remédio! – falou, rindo pra mim.

– Obrigada! – beijei seu rosto, deixando uma marca de batom.

– Pensa em vocês dois! – pediu de repente.

– Eu prometo! – garanti, beijando dois dedos que cruzei

17 de mai de 2014

Moments – Capítulo 7.


Oi, mãe. – atendi rapidamente o telefone enquanto corria pra cozinha.

– Filha, tudo bem?

– Sim, tudo ótimo! E com você? Sinto sua falta. – respirei fundo, sentando ao lado de Liam.

– Estou ótima, amor. O Pedro veio mais cedo me ver. Como estão se virando por aí?

– Perfeitamente bem. Já encontrei o Louis, acredita?

– Fico feliz, meu bem. Só liguei pra saber como estava e... falar que já li o Twitter. Vi a limpeza da casa e também você sendo apontada como namorada dele. – sua voz esfriou, me deixando apreensiva.

– Isso foi uma pequena confusão, mãe. Não estamos namorando e nem estávamos de mãos dadas. Foi só o ângulo da foto que deu a impressão. Mas isso não vai me afetar em nada, eu juro. Não se preocupa. – expliquei em tom baixo rapidamente, recebendo olhares curiosos de todos.

– Fico satisfeita com isso. Eu confio em você! Como a Emily está?

– Ela está bem. Não conseguia dormir mais cedo, meio preocupada, mas já está bem. Eu cuido dela. – garanti, piscando pra Em, que ria.

– Tudo bem. Me dê notícias sempre que puder. Eu te amo e sinto sua falta! – senti dor em sua voz, reprimindo um gemido machucado.

– Faço das suas as minhas palavras. Até mais. – desliguei, engolindo a vontade de chorar.
Era a segunda vez que falava com a minha mãe desde que chegamos! Ela era a minha única companhia familiar enquanto estava em Bournemouth , tendo que deixá-la de um jeito doloroso tanto pra mim quanto pra ela. Distância é algo com a qual eu tive que aprender a lidar, já que meu pai foi embora quando eu era pequena e poucas vezes nos vemos ou nos falamos. É a vida.

@SophiaMaryn – @PedroWegmann obrigada por ter ido visitar a NOSSA mãe. Te amo e sinto a sua falta x

Conversei alguns minutos com os meninos, rindo das piadas idiotas de Louis e da fome insaciável de Niall. Meu celular apitou, indicando uma menção no Twitter, provavelmente de Pedro.

@PedroWegmann: @SophiaMaryn Farei de tudo pra manter ela sempre por perto. Como está tudo por aí? Me ligue quando der. Te amo x

– E esse sorriso, Sophia? – questionou, exalando malícia em sua voz.

– Ian? – Emily perguntou, juntando as sobrancelhas, me assustando.

– Claro que não. É o Pedro. – falei, enlarguecendo meu sorriso.

– Ih, Lou... – Zayn brincou em tom insinuante, me fazendo parar de sorrir, corando em seguida.

– Sophia... – Lou pronunciou devagar, me deixando mais envergonhada.

– Louis... – imitei seu tom e velocidade ao falar, sorrindo em seguida

– ECA! – Emily murmurou.

– Pedro é meu irmão...de consideração, mas é.

– Hum, e você já beijou ele? – Harry subitamente questionou, me fazendo arregalar os olhos.

– Ela não, mas eu sim. Sophia e Pedro sempre foram unidos como irmãos, até os pais deles consideram assim. Eu sou a entrosada. – Emily comentou, fingindo magoa em sua ultima frase.

– Mentira, Em. Minha mãe te ama como me ama. Ela adotou você e o Pedro. – a consolei com voz de criança, fazendo todos rirem.

– Percebi os apelidos pelos quais se chamam. Nós podemos...? – Liam perguntou, recebendo nosso aceno positivo.

– Claro. Fica mais fácil. – ela afirmou.

– Em e Soph, certo? – ele pediu confirmação, nos fazendo rir.

– Certíssimo. – sorri pra ele, que retribuiu.

– Eu quero pizza, vocês topam? – Niall surgiu de repente com sua voz doce.

– Eu tenho certeza que a Tita sim. – Louis gargalhou ao ver minha expressão feliz com a sugestão de Niall.

– Então, vamos?! – Zayn chamou.

27 de abr de 2014

Moments – Capítulo 6.


Levantei ainda meio zonza. Eu ainda não estou realmente acostumada a acordar em um lugar que não é meu quarto, agora antigo. Um mero sorriso se ergueu em meus lábios e tive de soltar uma baixa risada após expulsar a preguiça do meu corpo.

 Bom dia.  exclamei quando encontrei Emily na cozinha.

 Seu celular apitou milhares de vezes desde que desci. Louis parece ter pressa em falar com você.  me informou, mexendo em seu cereal ainda séria.

 Fiquei de mandar o endereço por e-mail e ainda não fiz.  comentei.

 É melhor dar logo algum sinal de vida à ele. Não aguento mais o barulho irritante que o seu celular faz a cada nova mensagem.

 Mal humor logo pela manhã, em Londres?  ironizei, cativando seu olhar, que estava escuro.

 Não consegui dormir direito. Me sinto estranha e fora do lugar certo – lamentou, largando sua colher e jogando o resto de leite na pia.

 Entendo que é realmente apavorante quando se torna realidade, mas estamos juntas. Ficaremos bem.  entrelacei minha mão à dela em uma tentativa de conforto, que foi correspondido com um sorriso.

Expulsei alguns pensamentos ruins da minha cabeça, esses que vieram com a pequena crise de vida da Em, e fui procurar meu celular no meio da bagunça que a sala estava, sentindo necessidade de dar um sinal de vida pra Louis, que provavelmente está preocupado. Levei algum tempo pra achar o bendito do celular, encarando a bagunça em seguida e garantindo a mim mesma que arrumaria o quanto antes. Emily nunca foi de arrumar nada. De nós duas, eu sou a que tem mania de toque.


Já é a quinta mensagem.

O que aconteceu com você.

Louis X


Encarei o celular sorrindo e me sentindo bem por saber que ele gosta de ter notícias sobre mim.

Estou bem.


Apenas me recuperando das muitas noites sem dormir.

Sophia X


Enviei rapidamente ainda com um sorriso no rosto, sentada no sofá em meio a bagunça, esperando por sua resposta.

Enfim alguma reposta...


Qual o endereço? 

Estou de folga e... com os meninos. 

Louis X


Enruguei o nariz com a notícia. Ele viria me visitar com os meninos? Isso é algo que ainda não estava nos meus planos.


Mando a localização por e-mail.

Quando vier, me avise. 

Sophia X


Compartilhei a localização por e-mail como combinado, isso porque ainda não decorei meu endereço atual por estar aqui só há pouco mais de um dia. Emily voltou a se deitar, como insisti, pedindo que ela tentase dormir um pouco e parasse de pensar besteiras que pudessem acontecer no nosso futuro distante ou nem tanto assim. É hora da limpeza. Prendi os cabelos e parei no meio da sala, preparando meu psicológico pra arrumar minha nova casa. Malas, papéis e caixas espalhadas por cima de tudo me fizeram querer desistir, mas a mania de organização é bem maior que isso. Já era noite, mas meu pavor de bagunça era também maior que o meu cansaço, esse que ainda corrói meu corpo. Limpei tudo e coloquei cada coisa em seu novo devido lugar. Tive dificuldade pra subir com as malas já que toda a nossa vida está dentro delas — ou quase toda. Sentei no chão pra descansar após chegar ao fim, buscando pelo celular pra atualizar o Twitter e dar alguma notícia à minha mãe, que deve está arrancando os cabelos de tanta preocupação.

@SophiaMaryn  Minha mania de limpeza é sempre maior que eu, mas a boa notícia é que ainda estou viva.

Levantei do chão, colocando o celular sobre a bancada enquanto buscava na geladeira por um copo de água, esse que nomeei como meu melhor amigo no momento. Involuntariamente meus lábios se curvaram em um sorriso quando eu notei, pensativa, minha situação atual. Sou estudante de jornalismo na LCC, uma das universidades mais renomadas do mundo. E agora moro sozinha, tendo que me virar só e sem minha mãe por perto pra me dar colo. É assustador, mas eletrizante. Tive que voltar à realidade, despertando dos meus pensamentos reflexivos quando meu celular apitou, indicando uma nova mensagem.


Estamos subindo. 

Espero que esteja com fome, ahá

Lou X


Girei rapidamente meu corpo de frente para o espelho e após alguns segundos, gargalhei devido a minha aparência cansada e expressão alarmada. Estou suja por causa da limpeza que fiz há pouco, não me sentindo apropriada pra recebê-los, mas sabendo que não há outra opção. E isso se tornou ainda mais desconfortável quando a companhia tocou e pelo olho mágico vi Louis.

– Hey! – exclamei ao abrir a porta, dando passagem pra eles entrarem. 

 Horas ininterruptas de limpeza da Soph e tudo ficou brilhando. Eu ainda conheço você?  debochou, me encarando.

 Possivelmente. – brinquei, me encostando na parede.  Oi, gente!

 Gostei do apartamento.  Zayn foi o primeiro a falar.

 Eu também! É muito maneiro.  Niall, por sua vez, apreciou meu dom pra decoração.

 Sophia... Eu não queria, mas preciso informar que você já perdeu sua casa.  Liam disse em tom sério, mas logo riu, arrancando risadas de todos.

 Eu quero comer!  Harry afirmou, puxando as sacolas da mão de Zayn e Niall.

 Eu achei que essa frase seria dita pelo Niall.  Louis falou, rindo alto.

– Eu preciso tomar um banho, mas prometo não demorar. Então, fiquem à vontade, a casa é de vocês. – avisei, sumindo pelo corredor em seguida.

Passei pelo quarto de Em e ela parecia dormir profundamente. Fiquei feliz por saber que ela havia conseguido esse feito sozinha, caso contrário passaria a dormir comigo, o que seria um terrível incômodo pra mim. Sou expansiva e espaçosa, portanto não gosto de ninguém no mesmo quadrado que eu. Talvez por isso eu tenha tanta dificuldade em ter uma relação duradoura, tese essa que foi desenvolvida pela minha mãe.

Louis  

 Ela tem uma mania irritante de organização.  falei, fazendo careta enquanto andava pelo apartamento.

 Totalmente perceptível.  Liam comentou.

 Eu gostei dela, parece divertida.  Niall disse, fazendo-me o encarar com agressividade e dar-lhe um aceno negativo.

 Sophia é a minha melhor amiga e futura namorada.  informei enquanto ainda o encarava, que deu de ombros.

 Pouco possessivo, Tommo. – Harry ironizou, recebendo um tapa na cabeça.

 Ela sabe disso?  Liam perguntou, passando um braço por cima dos meus ombros.

 Quase.  fiz uma careta involuntária, recebendo dele um sorriso amigo e compreensivo.

 Eu gostei da amiga dela. Qual o nome mesmo?  Zayn enrugou a testa enquanto perguntou.

 O nome dela é Emily. Ela já me odeia e eu ainda tenho um amigo idiota que não consegue lembrar o nome dela. Minha vida anda muito fácil.  lamentei com ironia, chutando suas pernas de leve, que estavam sobre a mesa de centro.

 Hey, olha quem apareceu!  Niall falou subitamente, nos fazendo virar e encontrar Sophia chegando.

 Hum, 40 minutos. Harry, até ela é mais rápida que você.  Liam observou.

– Não enche, Liam. – o dito cujo resmungou, jogando a almofada nele.

– Trouxemos comida. – informei à ela, a vendo se sentar no sofá ao lado de Zayn.

– Ótimo, eu não tenho nada aqui ainda. O que trouxeram?  perguntou animada.

 É melhor levarmos atum porque a Sophia gosta.  Zayn imitou minha voz, então pisquei pra ela antes de dar um tapa na cabeça dele.

 Estou surpresa que não tenha esquecido esse detalhe. Eu sempre soube que você é o melhor amigo de todos.  ela disse, rindo.

 Uh, doeu.  Harry murmurou teatralmente, me fazendo soltar um suspiro pesado antes de sorrir pra ela, que estava inteiramente corada.

 É melhor não ligar pra eles.  afirmei, a puxando pra um abraço.

– Nós não ganhamos abraço quando chegamos.  Niall reclamou, me fazendo o fuzilar com os olhos.

– Eu estava suja, mas se quiser um agora, estou disponível.  ela abriu os braços de um jeito brincalhão e ele prontamente a envolveu. 

 Sendo assim...  Zayn parou enfrente à ela que, simpática e rindo, o abraçou.

E assim todos a abraçaram, me deixando levemente enciumado. Sophia sempre foi do tipo simpática e brincalhona. Esse é o jeito dela, que, por ser tão especial, cativa e encanta a todos. E isso não seria diferente com os meus amigos.

– Eles são legais.  ela comentou após provar de sua comida.

 São sim e, pelo que vi, estão adorando você.  falei, fazendo uma careta involuntária.

 E isso é ruim? Pensei que seria bom.  questionou confusa, comendo um pouco mais.

 Não, é claro que não. Isso é incrível!  consertei, me dando uns tapas internamente pela impressão que passei.

– Eu mal acredito que estou aqui com você, e ainda por cima morando sozinha e prestes a ingressar em uma das maiores universidades do mundo.  disse sorridente, me deixando derretido por dentro.

– Eu que não sei explicar qual a sensação de te ver novamente e saber que estaremos juntos por muito, muito tempo, sem que alguém tenha que ir embora pra longe. — passei a mão sobre a dela, ganhando um sorriso engrandecedor.

– Louis, você sempre terá que ir. É meio que a sua profissão agora, sabe, me abandonar.  ela brincou com a situação.

 Mas o que importa é que eu sempre irei voltar.

 Eu espero que sim! — ela riu.

O som de sua risada é algo que eu adoro. É impossível não reconhecer e se tornou a melhor melodia que já ouvi. Estridente, porém engraçada e totalmente reconfortante. E o modo como ela encaixa sua mão nos cabelos para rir é um detalhe que eu não esqueço e nem quero.

Sophia 

Nossos risos e gritaria acabou despertando Emily, que subitamente apareceu.

 Sophia Maryn, que gritar...

 Em, os meninos estão aqui. Sinto muito ter acordado você .  falei, mas após a primeira frase ela parecia não ter ouvido mais nada.

 Oi, Emily. Tudo bem?  Louis a cumprimentou, e eu a encarei, correndo até ela antes que caísse.

 Seja mais natural.  sussurrei, me abraçando à ela.

 Oi, gente.  finalmente se pronunciou, ganhando sorrisos dos meninos.

 Vocês tem dezessete anos?  Liam perguntou.

 Sim, mas ela é mais velha por alguns meses.  Em respondeu e fez careta de raiva, me fazendo debochar de sua idade.

 Eu que mando... na minoria do tempo.  reconsiderei, rindo alto.

 Não vou me surpreender se a Sophia for presa por causa de algo que a Emily fez.  Louis brincou, fazendo todos rirem.

 Eu pago pra ver isso.  Harry afirmou entre risadas.

 Se isso acontecer, dou um jeito de levá-los comigo!  afirmei, rindo.

 Mas e as aulas? Quando começam?  Liam perguntou, fazendo todos ficarem em silêncio.

 Eu não sei sobre isso.  Emily me olhou confusa, rindo alto em seguida.

 Seus pais terão orgulho da grande aluna que você será.  Zayn brincou, levando uma almofada na cara.

 Em duas semanas, se não adiarem. Mas iremos conhecer tudo semana que vem em uma das excursões.  expliquei com um sorriso largo no rosto.

------------

Em meio a uma grande gritaria, anotei o que todos queriam que fosse comprado no supermercado. Pedi a Emily que fizesse companhia à eles enquanto eu e Louis íamos as compras.

– Sabe da dificuldade, não é? – ele disse em tom receoso, rindo enquanto estacionava o carro.

– Eu consigo me comportar. – afirmei, dando um meio sorriso.

Entramos juntos e conversando. Ele pegou um carrinho enquanto eu caminhava ao seu lado, colocando todos os pedidos lá. Percebi alguns olhares descarados na nossa direção, mas apenas sorri tranquila quando ele pediu que eu ignorasse. Chegamos ao caixa e algumas fãs se aproximaram, pedindo que ele tirasse algumas fotos e desse autógrafos. Dei um sorriso para as meninas que, não tão simpáticas, retribuíram. Enquanto ele as atendia, eu fui passando as compras.

– Sinto muito por isso. – ele disse ao se aproximar pra pagar.

– Eu não me importo. É melhor que eu me acostume logo! – dei um sorriso confortante à ele, dando de ombros.

Ele pegou as sacolas e ao sair, insisti em o ajudar. Peguei algumas e logo tomei um susto inesperado quando alguns flashes acertaram nossos corpos. Ele conversou com o cara que havia o feito, e eu caminhei logo até o carro, não me perdendo no cumprimento rápido que dei à ele.

-----------

– Já vimos as fotos e confesso estar surpreso com a rapidez! – Niall disse assim que entramos, me deixando confusa.

– Que fotos? – questionei confusa, colocando as compras no balcão.

– Vocês dois de mãos dadas no supermercado. Gostei de ver! – Harry foi quem me respondeu.

– Não estávamos de mãos dadas. Ela apenas pegou as sacolas.

– Pelo ângulo, não é o que parece. – Liam nos entregou seu celular, mostrando a foto.

Me desliguei do que eles diziam e corri até meu quarto à procura do meu notebook. Eu precisava entender onde o nome da minha família estava sendo estampado. Coloquei-o sobre o balcão e todos ficaram atrás de mim, vendo junto comigo o que saiu nos sites.

Louis Tomlinson e nova namorada no supermercado.

– O 1D foi visto agora há pouco saindo de um supermercado, no centro de Londres, com uma garota loira. Fãs que estavam no local, afirmam terem visto os dois trocando muitos sorrisos. Quando eles estavam saindo, os dois mantinham suas mãos entrelaçadas, como pode ser visto nas fotos. Ela se assustou com o flash, tanto que cumprimentou rapidamente o fotógrafo, apressando-se para ir direto pro carro do cantor, que, em seguida, fez o mesmo. Eles saíram juntos e com as janelas do carro fechadas. Não se sabe ao certo o destino deles. 

– Nova namorada? – perguntei em tom baixo, deixando a boca entreaberta.

– Eles são bem rápidos. – Niall disse, dando de ombros, voltando a se sentar.

– Isso não vai te afetar em nada. Eu prometo! – Louis beijou minha testa.

Entrei em meu Twitter e antes que minha mãe visse todo o tumulto que isso se tornaria, decidi eu mesma me pronunciar.

@SophiaMaryn – Eu só estava ajudando um amigo com as compras. Não vejo problema nisso ;) X

– Eu acho que você fez bem, Sophia! Se pronunciar quando as coisas ainda estão pequenas é mais fácil pra contorná-las. – Harry falou, sorrindo.

Ter meu nome envolvido em algo do tipo não fez apenas um pouco de medo percorrer meu corpo, mas uma grande aflição se apossou do meu peito. Minha mãe terá um surto, mas vai me entender. Meu pai certamente enlouquecerá de tanta raiva. Um pedaço do meu mundo saiu de órbita com essa publicação.

Last...